Tese 1 | Ciclo de Aulas Abertas

Contributo para uma reflexão no âmbito de Metodologias de Investigação de 3º Ciclo em Arquitetura – Universidade Lusófona

Resumo

  • Pensar sobre maneiras de trabalho
  • Pensar sobre questões do ambiente em volta
  • Pensar, novamente, sobre maneiras de trabalho

João Soares

Arquiteto pela FAUP e doutorado pelo IUAV é professor associado no Departamento de Arquitetura_Escola de Artes da Universidade de Évora.

Diretor do Departamento de Arquitetura e Coordenador da Linha de Investigação em Arquitetura do CHAIA, dirigiu o programa de Doutoramento entre 2013 e 2020.

Desde o início do percurso de ensino na UÉvora, em 2004, integrou as diferentes equipas de construção dos Planos de Estudo e correspondentes relatórios (PERA) do Departamento de Arquitetura – do MI e PhD.

Comissário de exposições de Arquitetura: “Disegnare nelle Città”, com Álvaro Siza e Gabriele Basilico; “Siza, uma Malagueira plural”; “Polska Arkitectur”.

Traduz regularmente textos de crítica de Arquitetura do italiano para o português: “Contra a Arquitetura” (Caleidoscópio); “Mendes da Rocha uma Veneza imaginada” (Dafne).

Integra a programação da Rádio Antecâmara – projeto pioneiro de Pedro Campos Costa – onde realiza o programa “Memorial de Ares, experiências contadas do espaço”.

Colabora com o diário digital “Algarve Informativo”, onde é autor das “Memórias do Polvo”.

Enquadra a investigação que desenvolve no âmbito das relações entre prática e ensino/aprendizagem, convocando a fertilidade da experiência no acto de pensar e operar arquitectonicamente. As questões de processo e da relação entre o domínio racional e prático são centrais, ocupando a dimensão peripatética particular relevância.

PhD SEMINAR 2022/23 – Architecture: Design and Research

The PhD in Architecture from Lusófona University, Manchester School of Architecture and University of Ljubljana invites you to the Doctoral Class included in the International Seminar Architecture: Design and Research. The Seminar gather a series of online SEMINARS for researchers and postgraduate students organised by Prof Maria Rita Pais, Prof Ana Neiva, Prof Carlos Guimarães, Prof Dana Arnold, Prof. Tadeja Zupančič and Prof. Spela Hudnik. The seminars are a new research collaboration between the Manchester School of Architecture, the Universidade Lusófona and the University of Ljubljana.

This week
27 January 2022
14:30 (Lisbon time)
Andrew Ballantyne – “Bassae and the Fled Gods”
Zoom link: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/98897873155

Seminário “Teoria, Investigação e Prática Profissional”

Data
2022-2023
3º Ciclo de Aulas Aberta

“Exposição Breve de 3 Projetos e Reflexão Sobre Método na Prática de Projeto, Segundo a Perspectiva de Áreas Distintas: Música, Arquitetura e Arquitetura Paisagista”

Resumo

Propõe-se uma comunicação em que o propósito é refletir sobre a prática da arquitetura, baseando-se a exposição dos temas com que se espera fomentar esta reflexão no meu percurso académico e profissional. Deste, não interessa senão reter que a minha formação foi inicialmente dedicada à música, especificamente à prática do piano enquanto intérprete e que, nos meus 30 anos de idade, regressei à arquitetura, pela qual me havia também interessado no decurso dos meus estudos anteriores ao ensino superior. Será ainda de reter que, possivelmente, 80 porcento da minha prática profissional é dedicada a projetos de arquitetura paisagista.

Necessariamente, a minha proposta de reflexão não é a de um especialista. Pelo contrário, tende a parecer a de um experimentalista. São referidos 3 projetos, em fases distintas de desenvolvimento. Um primeiro, para a requalificação de parte dos Jardins do Palácio de Santos, em Lisboa, está ainda em discussão com vários dos seus intervenientes, embora tenha já sido entregue um projeto de execução, no final do mês de novembro de 2022.

Um segundo, para a requalificação e construção de uma nova cobertura no Mercado Municipal de Vila Franca do Campo, nos Açores, cujo projeto de execução foi entregue em março de 2022, permanece em suspenso, no lento processo de contratação de uma empreitada. Um terceiro, para o desenho do Parque Ribeirinho dos Moinhos da Póvoa, em Vila Franca de Xira, está já construído, tendo sido estudado entre 2016 e 2017, e inaugurado em 2019. Nem o meu percurso académico e profissional, nem qualquer um destes projetos são o principal assunto desta comunicação. Deverão servir apenas para estruturar a reflexão que se propõe. Desta aula aberta, espera-se apenas o objetivo de sugerir uma resposta possível a uma das interessantes questões que se levantam na descrição do âmbito deste seminário. Desenhar escrevendo? Ou escrever desenhando?

Francisco Guedes de Carvalho é arquiteto, formado pela Escola Superior Artística do Porto, desde 2011, e inscrito na Ordem dos Arquitetos desde 2014.Terminou os estudos do ensino secundário em1989, ano em que foi admitido na Faculdade de Arquitetura do Porto, e na Escola Superior de Música do Instituto Politécnico do Porto. Entre 1994 e 1998, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, tendo concluído um mestrado e uma pós-graduação em performance de piano na Depaul University, em Chicago. Inscreveu-se no curso de arquitetura da Escola Superior Artística do Porto em 2001.

Trabalha em projeto de arquitetura paisagista desde 2003, com o arquiteto paisagista Luís Guedes de Carvalho, com quem fundou o Atelier do Beco da Bela Vista, em 2009.Colaborou com os arquitetos Álvaro Siza Vieira e Helena Albuquerque no projeto de Requalificação das Ruínas da Sé Catedral da Cidade Velha, em Cabo Verde, em 2005, projeto que não veio a ser construído.

Entre outros projetos, nos quais colaborou ou de que foi autor, no âmbito do trabalho conjunto do atelier, refere os seguintes: Requalificação das Margens do Tâmega (prémio nacional de arquitetura paisagista em 2009); Requalificação e Valorização da Pateira de Frossos (prémio nacional de arquitetura paisagista em 2012); Pavilhão Infantil para Crianças com Deficiência Mental na Piazza Gae Aulenti, Milão (finalista no concurso internacional promovido pela Cidade de Milão, em 2014); Requalificação do Largo da Igreja de Santa Isabel, no Campo de Ourique – Lisboa (concurso e projeto de 2015; obra concluída em 2018); Parque Ribeirinho Moinhos da Póvoa, Póvoa de Santa Iria – Vila Franca de Xira (projeto de 2016; obra concluída em 2019); Requalificação do Mercado Municipal de Vila Franca do Campo, São Miguel, Açores (1º classificado no concurso de conceção, em 2021); Projeto de Restauro dos Jardins do Palácio de Santos, Lisboa, sede da embaixada de França em Portugal (1º classificado no concurso Luso-Francês, por convite, em 2021).

O seminário convida jovens arquitectos e investigadores de instituições de ensino universitário ou unidades de investigação exteriores a fazerem apresentações nos seguintes tópicos: 1 -Trabalho de Mestrado e Prática Posterior de Investigação e Projecto2 – Inquietação: Interacção da Teoria com a Prática. As sessões apresentam experiências de transição do percurso académico para a atividade profissional, convocando participantes e alunos a uma reflexão sobre o modo como a experiência de dissertação pode ser determinante na atividade profissional, na prática da arquitectura e na pesquisa de suporte dessa mesma prática.

É possível compatibilizar no início de carreira os domínios da prática, teoria e crítica com investigação operativa? O que podem os jovens arquitectos e investigadores em actividade trazer para o debate académico? Como veem o suporte da sua própria criação e de criações referenciais? Desenham escrevendo e escrevem desenhando? Qual a importância do conhecimento da História? De que modo os seus métodos e instrumentos são determinantes para atingir objetivos e obter soluções? De que modo o suporte dessa mesma prática reflete inquietações?

O seminário tem como objectivo principal suscitar uma reflexão, alargada às áreas científicas afins, acerca dos campos da pesquisa arquitectónica, convidando profissionais e investigadores a pensarem e debaterem a transição do percurso académico para a actividade profissional, de modo a estimular nos alunos não apenas a aptidão para distinguirem os domínios fundamentais da arquitectura – prática, crítica, teoria, história – e as articulações e inter-relações que entre eles se estabelecem, bem como o desenvolvimento de competências de autonomia para a organização do conhecimento, com vista à concretização de um Projecto ou Plano de Trabalhos, enquanto base consistente para posterior elaboração de dissertação de mestrado.

Laboratório de Investigação – Seminários, 5º ano, Curso de Mestrado Integrado, DAU – Departamento de Arquitetura e Urbanismo Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa. Docentes: Francisco Portugal e Gomes (PhD Arq.), Rodrigo Hölzer e Brito (PhD Arq.)